17 maio 2017

SINDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL

Quem leu ou segue o blogue, sabe que além da adição ao açúcar que tenho síndrome do intestino irritável (sii).

Ora como me têm enviado algumas questões sobre como ultrapassei a síndrome e como vivo com a mesma…

Resolvi então fazer uma descrição sobre esta situação…

Ponto n.º 1: Não ultrapassei a síndrome, apenas consegui entender o meu organismo e comecei a controlá-lo…
Houve uma fase muito complicada, em que deixei de comer diversos alimentos, muitos deles vocês ao verem a lista, ficarão admirados pois são alimentos considerados por qualquer nutricionista de saudável, mas que no meu organismo eram autênticos venenos…
Descobri que tinha a sii, à cerca de 7anos. Mas já vinha tendo sintomas 3anos antes…
Até consultar o 3.º gastro, nunca me tinham diagnosticado com sii…
Os meus Sintomas:
- Tinha diarreias repentinas (tinha urgência imediata de correr para o Wc, ou ia ou saía, não dava para controlar sequer);
- Calafrios;
- Tremores;
- Perdia as forças;
- Dor frequente do lado esquerdo da barriga (logo abaixo da linha do umbigo), uma espécie de cão a morder (como eu descrevia)


Atenção: Na SII, não existe grande perda de peso, nem sangue nas fezes, caso isso aconteça devem procurar mais especialistas pois o diagnóstico certamente será outro.   
- Perante os meus sintomas ia ao médico e frequentemente me receitavam medicação para gastroenterite, intoxicação alimentar…O que só piorava os sintomas…
Ao primeiro especialista que fui, mandou-me fazer uma colonoscopia, cujo resultado foi sem qualquer problema, ao que este me respondeu que andava a comer comidas estragadas e então tinha diarreias…
Hahahaha apetecia-me espancar este médico…
Fui a outro médico que simplesmente não fez praticamente nada, bem pelo menos fez o diagnóstico correto:
- Você tem síndrome do intestino irritável.
- Ok, dr. e como trato isso?!!!
- Menina não trata, viva com isso…
- Há?? Não pode ser, tem que haver forma de curar isto, pensei eu…
·         Foi então que comecei a pesquisar e a estudar bastante sobre a sii e comecei a aprender que  diversos alimentos poderiam ativar as crises…
Mas até aqui, não conseguia descobrir quais os alimentos que me faziam mal, e onde estava o meu problema.
·         Entretanto fui a outro Gastro, o 3.º e o que me ajudou a controlar a sii.
Mandou me fazer centenas de exames, fez diagnostico de sii, mas também me mandou fazer exame da intolerância à lactose, ao glúten, tiróide, etc, etc…

Ø  Primeiro passo:
- Controlar sintomas:
            Como?
·         Ansiedade principal activador das crises (fiz medicação para controlar a ansiedade, de forma a reduzir os movimentos peristálticos do intestino)

Ø  Segundo passo:
- Identificar os alimentos que o intestino não consegue digerir:
·         Intolerância à lactose (teste= 100% intolerante) – O simples facto de deixar o leite reduziu a incidência das crises em mais de 50%;
·         Comecei a fazer um diário alimentar com todos os alimentos que comia, a que horas e em que momentos tinha crises e a que horas, desta forma comecei a identificar os alimentos que o meu intestino não aceitava.
·         Deixei de comer:
- leite e derivados;
- tomate;
- alface;
- feijões e leguminosas em geral;
- beringela;
- courgette;
- couves;
- enchidos;
- Qualquer alimento processado (bolachas, doces, bolos, chocolates…);

·         A minha sii começou a dar sinais de melhorias assim como deixei de ter manchas na cara que me apareciam de repente, e que  depois acabei por descobrir que seria devido a alergia a alguns aditivos (corantes);
·         Passei a consumir diariamente probióticos (o que me ajudou imenso no controlo dos sintomas associados à sii, como flatulência, inchaço abdominal, cólicas);
·         Continuei a tomar ansiolítico por cerca de 3anos…

Quando engravidei pela 1.ªvez , verifiquei que podia comer quase tudo que nada me fazia mal…
Como já andava à cerca de 3 anos sem comer aquelas coisas gulosas abusei, abusei tanto que engordei 20kg na gravidez… Comia de tudo um pouco e nada me fazia crises… Foi ótimo J
Depois de ter a minha pipoca, tive uma luta gigante para perder os kg ganhos mas após um ano já estava em forma. Dediquei me bastante a fazer exercício, e conjugando com cansaço de cuidar de um bebe o peso foi-se, ainda bem…
Mas infelizmente, com todo o cansaço, chegou a compulsão alimentar associada à depressão pós parto (só diagnosticada numa fase tardia)…
Foi uma fase muito muito complicada…
Mas graças a DEUS, com ajuda e claro a nossa força de vontade conseguimos ultrapassar estes problemas…
Inicialmente fiz psiquiatria com medicação apropriada para controlar a compulsão e para me regularizar os padrões de sono, já que literalmente eu passava as noites acordada…
Numa fase posterior em que já me sentia mais equilibrada, quis deixar as medicações e passei então a fazer psicoterapia e hipnose, continuei a fazer a medicação e o desmame gradual… Deixei a medicação e mantive a terapia…
Entretanto engravidei novamente, com algumas crises pelo meio, mas confesso a terapia ajudou imenso…
Fiz hipnose até uma semana antes de ir ter o meu bebe, acho que isso ajudou imenso para controlar a ansiedade e me ajudar a encarar esta segunda gravidez com calma e serenidade.
Passei a olhar para os alimentos como algo que serve para me nutrir e não algo que serve para me compensar, não compensa o cansaço, não compensa a ansiedade, não compensa a tristeza, não compensa a solidão, não compensa os nervos…
Aprendi a identificar os meus gatilhos e a fugir deles…

          - Voltando à Síndrome, neste processo todo de compulsão, voltei a ter algumas crises de diarreias e dores, pelo que tive que me obrigar a deixar de comer certos alimentos, principalmente os processados, açucarados…
Actualmente consigo comer praticamente de tudo, desde que não abuse, à excepção do leite.
Só como exemplo:
O tomate, que não podia comer mesmo, pois em menos de 30minutos estava a ter uma descarga e o gajo saia tal como entrava; só actualmente passados 7 anos é que voltei a comer de forma reduzida e nunca diariamente (pequenas doses em dias separados) e o meu intestino já aceita a ingestão do tomate.

Assim sendo:
Para quem pergunta se nunca mais vai poder comer isto ao aquilo…?
- Dependendo do vosso organismo, da vossa dieta, controlo do stress e ansiedade, os alimentos que actualmente vos fazem mal, um dia mais tarde podem conseguir aceitar novamente determinado alimento.
A síndrome do intestino irritável é uma patologia que não tem cura, mas é possível de ser controlada.

Têm sintomas praticamente iguais à doença de crohn (daí a importância de consultarem um especialista e fazerem sempre a colonoscopia).